Arquivo mensal junho 2018

Todo mundo é coach?

Será que todo mundo é coach agora? Essa tem sido uma pergunta muito comum, uma vez que estamos vivendo o momento do Coaching no Brasil. Mas, uma pergunta que não quer calar: será que todo mundo é médico, advogado, psicólogo, engenheiro ou professor?Não entenda essa minha pergunta tendenciosa, mas muito pelo contrário. Ela tem simplesmente o objetivo de esclarecer para você que não conhece tão bem o Coaching e também para você que já ouviu falar do Coaching que, não, nem todo mundo é coach, infelizmente.

O Coaching explodiu no Brasil e atraiu muitas pessoas a participar dos seus cursos de formação ou passar por um processo com algum profissional. Algumas pessoas dizem que essa explosão foi ocasionada pela crise que o país passa e eis aí uma nova profissão que vai fazer todo mundo ficar “rico da noite para o dia”. Ops! Para tudo, não é por aí!!!

Outros dizem que o Coaching é modismo…Não é! Afinal, quem estudar mais um pouco essa metodologia saberá que ela existe há séculos. O fato é que o Coaching ajuda a acelerar os resultados e muitas pessoas têm buscado as formações  com o objetivo de autoconhecimento, aumento da performance na liderança, melhoria em seus negócios, e claro, há aqueles que o buscam para se tornarem profissionais coaches.

A polêmica, muitas vezes, está em, por exemplo: “A pessoa leu um livro de Coaching e já acha que é coach”. Realmente isso não faz sentido, pois quem nunca fez uma formação e só leu um livro, não pode sair por aí falando que é um coach, mesmo que se identifique. Você  compraria um serviço de Coaching de alguém que leu livros sobre o assunto, que não passou pela prática, que conhece algo de teoria e sem vivência? Bem, tudo isso vai depender do resultado que você quer alcançar na sua vida e depois, não adianta “chorar o leite derramado” e sair falando mal de todos os coaches. A primeira coisa que um profissional coach precisa é dominar a metodologia utilizada, pois essa visa mudança comportamental para aumento de performance e precisa de muito, muito, mas muito estudo e prática, afinal, cada ser humano tem o seu próprio universo e esse é bem particular.

Outra polêmica é: A pessoa faz um curso inicial de 6 dias ou 8 dias (eu disse inicial) e já sai dizendo que é coach. Sim! A pessoa que passou por uma formação e recebeu o certificado pode falar que é coach, afinal, ela passou por um curso de formação. Essa pessoa está habilitada… É como aquele motorista que acabou de tirar a sua carteira de habilitação e precisa de muita prática para não provocar um acidente. E esse coach, que quer ser um profissional, vai praticar muito, principalmente em si mesmo. Não importa se vai “arranhar o carro” algumas vezes, ele estará em fase de prática do aprendizado e vai utilizar o pro-bono (forma gratuita de atendimento) por um período até se tornar apto. Mas claro, isso vai da evolução de cada um… Como eu disse, cada ser humano tem um universo particular. Alguns aprendem mais rápido, tem vocação e podem atender seus clientes de forma excelente em menos tempo que se espera.

Eu me identifiquei desde o início com o Coaching, já tinha a vocação. Então, faço parte das pessoas que tem a pré-disposição para essa profissão e isso é algo necessário para qualquer profissão. E mesmo com vocação, isso não me fazia uma coach nata… Quando eu fiz a minha primeira formação, eu trabalhava em uma multinacional, era gestora de uma grande área da empresa e queria atuar como profissional coach e atender como coach no meu próprio negócio… Mas, te confesso que precisei estudar muito, fazer muitos cursos, investir R$$$, ser staff e trabalhar com grandes coaches, além de ter muita prática para elevar os meus resultados e os dos meus coachees.

Eu acredito que um bom coach é aquele que é seu próprio case de sucesso, ou seja, se a vida dele mudou desde quando ele conheceu o Coaching, é sinal que ele fez bom uso sobre o que aprendeu… Meu grande case de sucesso, no meu início, fui eu mesma… Sim, eu fui a primeira pessoa a experimentar o Coaching na minha vida (Autocoaching) e em um ano eu consegui ter os resultados que eu havia colocado como objetivo. E já se vão seis anos, vivendo o Coaching todos os dias… Hoje, eu posso dizer, estou muito feliz com os feedbacks que recebo, quer seja de um líder em ascensão, um empreendedor, um executivo de alto escalão e até mesmo dos próprios coaches que atendo, em fase de transição de carreira e para abrirem os seus negócios.

Por fim, eu realmente adoraria que todo mundo fosse coach, na sua vida, na sua casa, na sua liderança, na educação, na igreja, na comunidade, no esporte, na política, na empresa, no atendimento ao público… Mas, para ser um coach que vive dessa profissão todos os dias, é preciso “ralar” muito, estudar muito e fazer a diferença na vida do outro… Adotar a carreira como coach é acima de tudo, ter muita responsabilidade com o que faz e provoca no outro. É ter congruência, comprometimento, ética e a certeza de que está na profissão certa, não apenas pelo dinheiro, mas pela missão, assim como qualquer bom profissional, independente da área de atuação.

Espero ter contribuído com o seu conhecimento! Até a próxima!

Patrícia Gonçalves

Master Coach de Carreiras & Lideranças

Diretora-Presidente da Cocriarte Produções

www.patriciagoncalves.com

@coach.patriciagoncalves

@cocriarteproducoes

Fale direto